quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Tempos Verbais

Emprego dos tempos do modo indicativo

1.O presente do indicativo expressa um fato atual ou habitual do sujeito.
Leio jornal todos os dias.
Ela sempre fala a verdade.

2.O pretérito perfeito expressa um fato já concluído em época passada.
Perdi todos os meus documentos na semana passada.
Eles assistiram ao espetáculo.

3.O pretérito imperfeito expressa um fato passado porém ainda não concluído.
Vovó apreciava um bom vinho.
Fazíamos boas amizades na Europa.

4. O pretérito-mais-que-perfeito expressa um fato anterior a outro fato que também é passado.
Quando cheguei à estação; o trem já partira.
A palestra ficara monótona, por isso fomos embora.

5.O futuro do presente expressa um fato que deve realizar-se num tempo próximo em relação ao momento presente.
Chegaremos amanhã.
Ela comprará um apartamento.

6. O futuro do pretérito expressa um fato futuro, mas de forma hipotética em relação a um momento passado. É também conhecido como tempo condicional.
Compraria um terno novo, se tivesse dinheiro.
Ele disse que encontraríamos dificuldade...





Emprego dos tempos do modo subjuntivo

1.O presente do subjuntivo expressa um fato atual, exprimindo suposição, dúvida, possibilidade.
Espero que cumpras o teu dever.
Deus te abençoe.

2.O pretérito imperfeito expressa uma ação passada dependente de outra ação passada.
O guarda pediu que eu parasse.
Se ele estudasse mais, passaria no vestibular.

3. O futuro do subjuntivo expressa um fato que vai acontecer relacionado a outro fato futuro.
Farei como julgar melhor.
Quando voltarmos da viagem, decidirei isso.

Formas do modo imperativo

O imperativo expressa ordem, conselho, pedido e possui duas formas: afirmativa e negativa.
O imperativo não possui a 1ª pessoa do singular, pois não se prevê ordem, conselho ou pedido a si mesmo.

1.O imperativo afirmativo é formado do presente do subjuntivo, com exceção da 2ª pessoa do singular e da 2ª pessoa do plural, que são retiradas do presente do indicativo sem o s.
Diga a verdade.
Saiam daqui.

2. O imperativo negativo é formado do presente do subjuntivo.
Se bebeu, não dirija.
Não fumem aqui, senhores!

_________________________________________


O Pretérito perfeito do Indicativo é usado para:

•Mostrar uma ação terminada, já realizada.

oNós arrumamos tudo e saímos mais cedo de casa
oAna pediu meu livro emprestado na semana passada
oEu construí uma casa nova.

•Perguntar e responder sobre aquilo que já foi feito
oVocê comprou este sapatato na loja de Maria?
oSim, comprei outras coisas também
oVocê viu onde eu pus a caneta?
oEu vi a caneta em cima da mesa.
oCarlos veio com você?
oNão, ele ficou na escola.

O Pretérito imperfeito do Indicativo é usado para:
•Indicar uma ação interrompida, não terminada.

oEu andava pela rua quando você me parou.
oPedro brincava no quintal , quando começou a chover.

•Indicar uma ação contínua , feita no passado , mas que não se faz mais
o João viajava todo final de semana = João costumava viajar todo final de semana
Esta frase indica que no passado João viajava todo final de semana , mas atualmente ele não viaja mais
o Antigamente , Paulo jogava futebol = Antigamente , Paulo costumava jogar futebol .
o Ana comprava muita coisa inútil = Ana costumava comprar muita coisa inútil.

•Descrever pessoas , coisas , situações, etc..
o O jantar estava ótimo
o A cozinheira estava cansada
o Os convidados usavam roupas adequadas.

•Para indicar ação simultânea
o Eu escrevia as cartas enquanto Rodrigo colava os selos.
o Renata fazia o almoço enquanto Beth arrumava a casa.

Diferenças entre o Pretérito perfeito e imperfeito
•O Imperfeito é um espaço de tempo no passado
•O Perfeito é usado para expressar tempo delimitado no passado
•O Imperfeito é um hábito no passado
•O Perfeito é um ponto no passado
•No Imperfeito você não percebe claramente o fim da ação
•No Perfeito você percebe claramente o fim da ação
•No Imperfeito há um envolvimento maior com o passado
•No Perfeito a informação é mais objetiva

Observe a diferença entre a frase 1 e 2 .
1-Eu queria ir à sua casa mas não pude, porque o carro quebrou.
2-Ontem eu quis ir à sua casa, mas não podia, porque não tinha com quem deixar as crianças

Na frase 1 a carga maior de envolvimento está no fato de querer , usado no imperfeito. A informação "não pude" é mais objetiva (pretérito perfeito).
Na frase 2 a preocupação maior é mostrar a impossibilidade de ir (não podia), enquanto "querer " informa um fato mais objetivo, uma determinação maior.


______________________________________



PASSADO CONTÍNUO = Verbo estar no pretérito imperfeito + verbo no Gerúndio ( ando, endo , indo)
Eu estava trabalhando muito.
Nós estávamos preparando o jantar
Beth estava dormindo, quando eu saí
Rodrigo estava escrevendo um relatório.

________________________________________


Formação do Pretérito mais-que-perfeito
O pretérito mais-que-perfeito está diviido em dois; composto e simples. A forma simples do pretérito mais-que-perfeito é para o uso formal ,usada somente para escrita, em livros, jornais, revistas, etc.. Enquanto que a forma composta é a que todos nós usamos no dia-a-dia , em uma linguagem menos formal.
A forma composta é formada do seguinte modo:
•pelo verbo ter (no pretérito-mais-que-perfeito) + verbo no partiçipio
•ou pelo verbo haver (no pretérito-mais-que-perfeito) + verbo no participio

Não o encontrei porque ele tinha/havia saido mais cedo => COMPOSTO ( Tinha + Particípio )
Não o encontrei porque ele saíra mais cedo => SIMPLES

Quando cheguei lá , o bar tinha/havia fechado => COMPOSTO ( Tinha + Particípio )
Quando cheguei lá , o bar fechara => SIMPLES

6 comentários:

  1. gostria que se ppossivell manda-se as resposta das questoes acimama mande para tia fran_ martins@ hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Ana Paula (apc_pitt@yahoo.com)10 de dezembro de 2009 09:34

    Oi, Ana Gabi! Gostei da sua explicacao sobre preterito perfeito e imperfeito e recomendei o seu blog como refencia para os meus alunos. Somente gostaria de fazer uma pequena . As virgulas nas frases "Eu queria ir a sua casa..." e " Ontem eu quis ir a sua casa..." sao desnecessarias. Alem disso, a conjugacao do verbo poder no imperfeito (3 pessoa, sing.) e' "podia".

    ResponderExcluir
  3. Ana Paula,

    Sim, as vírgulas nestes exemplos são desnecessárias, mas o uso é opcional, né?!
    Costumo sempre usar a vírgula antes de qualquer conjunção ou conectivo. Assim, eu optei por usar, por achar mais coerente com a linguagem oral, ao representar a pausa natural na hora da minha fala.

    No exemplo do verbo "poder" eu realmente cometi um erro ao digitar rapidamente, tanto que no exemplo estava escrito "pudia", mas na explicação estava escrito "podia". Tenho tido muito trabalho para postar neste blog, achar exemplos e bons exercícios nesta correria que é a vida de professora!

    Obrigada por visitar o blog e espero que ele te ajude em suas aulas.

    ResponderExcluir
  4. olá galera gostaria de saber de uma coisa, alguém poderia me responder ou melhor dizendo me prestar uma informação sobre o seguinte fato; a pergunta é a seguinte.
    "sai lá pra fora,joão."

    essa linguagem se encontra em que opção:
    a)elipse
    b)hipérbato
    c)pleonasmo
    d)assindético
    e)zeugma

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana Gabriela!
    Sou Professor de Língua Portuguesa e Literatura, na cidade de Corguinho-MS gostei muito de seu blog, é muito criativo e consistente nas informações e dicas, tenho algo em comum com você sou libriano,gostei do assunto do romantismo, trovadorismo e figuras de linguagem se possível gostaria de receber o gabarito. osneyf@hotmail.com abraços.

    ResponderExcluir
  6. Tem como você me mandar as respostas da narrativa a velha contrabandista? Obrigada! lopes.maura@hotmail.com

    ResponderExcluir